×

IR PARA CHIP POWER

Caso tenha dificuldades em aceder ao CHIP POWER contacte-nos ou envie-nos um e-mail para energia@enacol.cv!

HORÁRIO DE ATENDIMENTO

Seg-Sex 9:00 - 18:00
Encerrado ao fim-de-semana!

FORGOT YOUR DETAILS?

Sobre Nós

A HISTÓRIA DA ENACOL REMONTA A 1979

A nossa história

Sobre Nós

A HISTÓRIA DA ENACOL REMONTA A 1979

A nossa história

Sobre Nós

A HISTÓRIA DA ENACOL REMONTA A 1979

A nossa história

PREV
NEXT

A nossa história

Com o intuito de evitar a especulação dos preços dos produtos petrolíferos no mercado interno, controlar e garantir o abastecimento de energia em Cabo Verde, aumentar o volume de vendas no porto de São Vicente, face aos portos vizinhos e contribuir para o aumento do tráfego do Aeroporto Amílcar Cabral, o Governo Cabo-verdiano criou, em 1979, a ENACOL – Empresa Nacional de Combustíveis.

1979 › FUNDAÇÃO
Da crise nasce a energia

Anos 70

Em 1979 tendo em conta a crise energética que se verificava a nível mundial, o Governo de Cabo Verde de então, decidiu criar a ENACOL com o intuito de:

  • Evitar a especulação dos preços dos produtos petrolíferos a nível do mercado interno;
  • Controlar o custo de abastecimento ao país;
  • Garantir o abastecimento interno;
  • Procurar aumentar ou manter o nível das vendas no Porto de São Vicente face à concorrência dos portos vizinhos;
  • Contribuir para o aumento do tráfego do Aeroporto Amílcar Cabral;
  • Contribuir para o desenvolvimento do Estado de Cabo Verde com lucros da exploração da atividade da empresa.

Assiste-se então, à publicação do Decreto-Lei Nº 122/79 no B.O Nº 50 de 1979 que cria a ENACOL, Empresa Nacional de Combustíveis, EP., cujo objeto era a importação, reexportação, transporte, armazenamento e comercialização de petróleo e seus derivados.

Crescimento sustentável

Anos 80

O 1º ano de atividade, 1980, foi marcado pela criação de infraestruturas operacionais básicas e pela recuperação das instalações que eram da então Miller´s & Cory´s, tendo em conta o mau estado de conservação em que se encontravam, mas também pelo facto de não estarem totalmente vocacionadas para as novas atividades previstas, no que se refere à comercialização de produtos derivados de petróleo.

Ainda em 1980, a ENACOL inicia a construção de pequenos Postos de Venda. Em Junho de 1982 dá-se o início da construção das Instalações da ENACOL na ilha do Sal para armazenamento de combustível para aviação. Em 11 de Dezembro do mesmo ano iniciou-se a atividade Comercial de fornecimento às Aeronaves Internacionais no Aeroporto Internacional Amílcar Cabral. Ainda em 1982 é assinado o contrato de construção das novas Instalações de Armazenamento de Gás Butano na Praia, com financiamento do Governo da Alemanha. O ano de 1983 fica marcado pelo grande volume de vendas no Mercado de Aviação que totalizou 26.197 MT. Nesse ano, o quadro do pessoal contava com 62 trabalhadores distribuídos pelas ilhas de São Vicente, Santiago e do Sal. O ano de 1984 foi considerado o ano de consolidação da empresa: Regista-se a assinatura do contrato de armazenagem de produtos com a FACUB – Frota Atuneira Cubana e a angariação de novos clientes no mercado da aviação, a destacar a TAAG, Linhas Aéreas Angolanas e a FAB, Força Aérea Brasileira; A 5 de Julho é inaugurada a Instalação de Enchimento de Gás Butano na Praia, com uma capacidade de 1.500 toneladas métricas. A Instalação veio a possibilitar a importação do Gás Butano a granel; A primeira descarga de butano a granel, transportado pelo N/M ³ FORTUNATO 2 foi realizada no dia 29 de julho de 1984. A 31 de janeiro de 1985, a ENACOL assina um contrato de fornecimento de JET-A1 com a PETROBRAS. No ano seguinte, 1986, a ENACOL começa a fazer parte do Capital Social da SODIGÁS ¬ Empresa de Produção e Comercialização de Oxigénio e Acetileno, em 30%. 1987 foi o ano de saneamento financeiro da empresa. O Capital Estatutário foi aumentado de 60.000 contos para 250.000 contos, mediante o Decreto-lei Nº 87/87. Em 1988 terminam as obras de construção das instalações de combustíveis líquidos ¬ Gasóleo – em Santiago e no Sal. Inicia-se no mesmo ano, a comercialização da garrafa de gás de 3 Kg, principalmente nas ilhas de Santiago e de S. Antão. Em 1989 é introduzida uma inovação no Gás Butano: a comercialização de um ferro de engomar associado à garrafa de 3 Kgs.

Inovação

Anos 90

Em 1990, contratos importantes são assinados, como por exemplo, com a CHEVRON ¬ USA, para armazenagem e comercialização de Fuel e com a Petrogal, enquanto fornecedor de Jet-A1, Gasóleo, Gasolina e Butano.

Em 1995, o Governo assume os passivos da empresa, na ordem dos 2.026.000 contos. Em dezembro de 1996, a ENACOL tornou-se numa Sociedade Anónima, tendo ocorrido a sua transformação em Empresa de economia mista, através da sua privatização parcial. Dois novos Acionistas, a PETROGAL e a SONANGOL juntaram-se ao ESTADO DE CABO VERDE para conjuntamente e na qualidade de Parceiros Estratégicos, promoverem o necessário desenvolvimento da ENACOL, tanto a nível nacional como além – fronteiras. Efetivamente, pelo Decreto-Lei nº48/96 (B.O nº 43 de 18 de Dezembro 1996), é alienado 65% da participação Social do Estado, resultado das entradas da PETROGAL de Portugal e da SONANGOL de Angola, seguindo-se a Oferta Pública de Venda em 1999, pela qual 5,5% do capital social da ENACOL passou a ser detido pelos trabalhadores, pelos emigrantes e pelo público em geral. Em 1997, a gestão da ENACOL assume um novo modelo: uma Comissão Executiva composta por três Administradores executivos, representantes do Estado, da Galp e da Sonangol. Com o Decreto-Lei Nº 47/98, a ENACOL é transformada em Sociedade Anónima de capitais públicos. Em 1999 dá-se a mudança da identidade visual da ENACOL: um novo logotipo é criado e surge uma nova imagem corporativa. Igualmente em 1999, muda-se a cor das garrafas de gás: o verde passa para a cor Laranja e associa-se o nome “Laranjinha” às garrafas, mediante uma forte campanha de comunicação. Ainda em 1999, a ENACOL inicia uma remodelação profunda da sua rede de Postos de Venda.

Inovação

Anos 2000

Em 2002, a ENACOL passa a ter um novo modelo de gestão: uma Direção-geral a reportar-se a um Conselho de Administração.

Em 2004, é lançada no mercado, a garrafa de gás de 6 Kgs. Inicia-se a comercialização de lubrificantes sintéticos, também no ano de 2004.

Em novembro de 2005, no âmbito da sua política de inovação, a ENACOL apresenta ao mercado, um novo sistema de pagamento de combustíveis, com base num chip eletrónico – o CHIP POWER, na modalidade Pré-pago.

Em 2006 é assinado um contrato de compropriedade com a Shell, Cabo Verde, relativo ao quadro de amarração de petroleiros e respetivo sistema de iluminação mar e terra, o sealine que liga o quadro de amarração às instalações da Palmeira, para descarga de gasolina e Jet A1, o pipeline Palmeira – Espargos para Jet A1 e pipeline para descarga de TFO e para abastecimento à Electra. Em agosto de 2006 é criada a ENAMAR – Sociedade de Transportes Marítimos, Sociedade Unipessoal, com capital social pertencente à ENACOL, com o fim de gerir a indústria de transportes Marítimos. Também em 2006, são adquiridos os Navios Dragoeiro e John Miller’s. Em março de 2007, o Estado decide alienar a sua participação na ENACOL, através de uma Oferta Pública de Venda. Esta consistiu na venda de 285.088 de ações, representativas de 28,5% do capital social. Tratando-se de um sector estratégico para a economia de Cabo Verde, o Governo optou pela manutenção de uma Golden Share, possibilitando-o assim, de ter uma palavra decisiva em questões estratégicas na vida da empresa. O capital social da ENACOL, a seguir à OPV ficou assim constituído: Petrogal – 33,2%, Sonangol – 33,2%, Outros Acionistas – 29%, Trabalhadores – 2,5% e Estado de Cabo Verde – 2,1%. Em julho de 2007 é criada a empresa ENACOLGEST – Sociedade de Gestão e Investimentos, empresa participada da ENACOL, cujo objeto consiste na importação e comercialização, gestão e aprovisionamento, exploração de áreas de serviço e postos de abastecimento de combustíveis, elaboração e gestão de projetos de manutenção e construção de instalações e Postos de Abastecimento. Em dezembro de 2007, com a ENACOL cotada em Bolsa, deu-se uma outra alteração significativa na constituição do capital social: Galp Energia, 37,5%, Sonangol, 36,7, demais acionistas, 17,5%, Caixa Banco Investimentos, 6,2 e Estado de Cabo Verde, 2,1%. Ainda em 2007, são assinados novos contratos de compropriedade com a Shell Cabo Verde, desta feita referentes a: sistema de abastecimento de combustível no cais do Porto Grande, em S. Vicente, relativamente ao quadro de amarração de petroleiros e respetivo sistema de iluminação mar e terra, o sealine que liga o quadro de amarração às instalações da Galé para descarga de gasóleo e fuel oil e pipeline Galé / Instalações ENACOL; pipeline para Jet A1, de instalações da Achada Grande ao Aeroporto da Praia, em Santiago. 2009 entra para a História da ENACOL, como sendo o ano da consolidação da Liderança do Mercado, com 54,8% de Quota. Em abril de 2009, a ENACOL inova no mercado de Gás Butano, lançando nas cidades do Mindelo e Praia, uma nova garrafa de Gás, a Laranjinha Light. Uma nova geração de garrafa de gás mais leve, muito segura, ergonómica, um produto não-corrosivo, resistente, integralmente reciclável e com um visual atraente. Ainda em 2009, dá-se uma nova alteração na estrutura do capital social da empresa: Galp Energia, 48,28%, Sonangol, 38,45%, demais acionistas, 11,45%, e Estado de Cabo Verde, 2,1%. No ano de 2010, a ENACOL continuou a reforçar a liderança global do Mercado de Combustíveis passando de 54,8% de 2009 para a quota histórica de 64,7%. Em junho de 2010, de modo a expandir o seu campo de atuação no mercado cabo-verdiano de combustíveis a ENACOL altera o seu objeto social, que passa a ser : “A sociedade tem por objeto principal a importação, processamento, distribuição, transporte, armazenagem, comercialização e reexportação de hidrocarbonetos e seus derivados, incluindo betumes, óleos base e lubrificantes e exploração de parques de armazenagem, bem como das respetivas estruturas de transporte primário intra e inter-ilhas, receção, movimentação, enchimento e expedição de combustíveis líquidos e gasosos, a exploração de postos de abastecimento e áreas de serviço, de assistência a automóveis, a produção, distribuição e comercialização de outras formas de energia não fóssil, designadamente solar, eólica, hídrica e outras fontes renováveis, a exploração das respetivas instalações, bem como outras atividades industriais, comerciais de investigação ou de prestação de serviço, conexas com este objeto principal. Em outubro de 2010 a ENACOL apresenta ao mercado cabo-verdiano, mais um serviço inovador, no que toca ao fornecimento de Gás Butano: O GÁS CONFORTO. Com este novo sistema, o gás é fornecido através de canalização própria, a partir de instalações localizadas no exterior dos edifícios e com recurso a Garrafas de 12,5 Kgs e 55 Kgs ou reservatórios de gás com diferentes capacidades, consoante as necessidades. A instalação e a manutenção são executadas por equipas técnicas especializadas da ENACOL, com um elevado sentido de profissionalismo, dando todo o acompanhamento ao cliente. Em dezembro de 2010 é assinado um contrato de parceria com a AEGEAN – empresa grega de logística, dando início a uma cooperação estratégica, no âmbito do Bunkering, com consideráveis vantagens para a ENACOL. O contrato aparece na sequência da aposta forte no mercado do Bunkering, pela ENACOL, aproveitando a ótima situação geográfica de Cabo Verde, no Oceano Atlântico, aliando a sua prestação de serviços de qualidade, no intuito de levar o Porto Grande do Mindelo a obter os resultados áureos alcançados na época do comércio do carvão. Em fevereiro de 2011 iniciam-se as operações de Bunkering, no Porto Grande, com a chegada do Navio Dilos, pertencente à AEGEAN. No âmbito do segmento da rede de Postos de Combustível, em Abril de 2011, a ENACOL inaugura o primeiro espaço – PONTO LARANJA – na Ilha da Boavista, um novo conceito, que passou a identificar as Lojas de conveniência e Cafetaria da ENACOL. Em julho de 2011, a ENACOL lança no mercado, o CHIP POWER na modalidade PÓS-PAGO: abastecimentos em combustíveis nos Postos de Venda e pagamento posterior e mensal, por débito em conta bancária do cliente. Em setembro de 2011, a ENACOL adquire o Navio /Tanque Baía, no sentido de redução de custos na prestação de serviços do Bunkering. Ainda em 2011, deu-se o início das atividades da ENAMAR. Uma Sociedade unipessoal de Transporte Marítimos, com capital social pertencente a ENACOL. Sediada no Mindelo, a ENAMAR tem como objeto social a distribuição de combustíveis inter-ilhas, nomeadamente, a distribuição de produtos petrolíferos a granel, transporte de embalados e prestação de serviços de transporte inter-ilhas. Com uma forte aposta no segmento de Bunkering como o eixo fundamental da estratégia de desenvolvimento da ENACOL, a empresa marcou a sua presença na Conferência “Platt 3 rd European Bunker Fuel Conference”, realizada na Holanda, que teve como objetivo principal discutir o futuro da indústria de Bunkering a médio/ longo prazo, tendo em conta as ameaças e oportunidades. Ainda em maio 2012, com o objetivo de promover o negócio de Bunkering junto de potenciais clientes e para um melhor conhecimento dos circuitos especializados e tendências deste mercado, a ENACOL marcou a sua presença no evento “Maritime Week Americas 2012” que foi realizado no Panamá. Um encontro marcado por uma série de eventos relacionados com atividade marítimas, de entre os quais se destaca o” MWA Bunkerks”, a maior conferência anual sobre Bunkering. Inicia-se no mesmo ano as atividades da ENACOLGEST. Trata-se de uma empresa inteiramente dedicada à gestão de postos de venda, com missão clara de dinamizar o negócio de retalho e, acima de tudo, assegurar o necessário controlo do património alocado a essa atividade. A 22 de junho foi inaugurada a nova área de serviço do Posto de Venda Ribeira Grande em Santo Antão. Um projeto com o objetivo de remodelar e ampliar o posto, com a disposição de venda de combustíveis, gás, lubrificantes, serviços de lavagem e lubrificação, pneus, tornando-o num espaço mais agradável e proporcionando maior comodidade e um serviço de qualidade aos clientes. Ainda em junho de 2012, o valor nominal das ações da ENACOL passa de 500$00 para 1.000$00 aumentando consequentemente, o seu capital social de 500.000.000$00 para 1.000.000.000$00, por incorporação de reservas, alterando-se assim, o Artigo 5º dos seus Estatutos. Igualmente em 2012, no âmbito da sua política de investimentos para melhor auxiliar os seus clientes no segmento da Aviação, a ENACOL adquiriu dois Hydrants dispensers afetas ao Aeroporto Internacional Amílcar Cabral na ilha do Sal. Uma aquisição que veio reforçar a sua política em termos de segurança e eficácia exigidos neste segmento. No âmbito da sua estratégia comercial que a Empresa tem vindo a seguir desde 2009, relativamente a sua performance conseguida no segmento de Bunkering, a empresa organizou uma Conferência sob o lema “Come back to the future”, com o propósito de promover um debate alargado sobre o Bunkering em Cabo Verde. Durante a conferência, foi assinado um Termo compromisso entre as petrolíferas nacionais (ENACOL e Vivo Energy) e o governo, no sentido de definir as ações que cada parte levará a cabo para a afirmação do Porto Grande como centro de Bunkering no atlântico médio. Em abril de 2013, a ENACOL em colaboração com a Galp energia, organizou o VII Encontro Galp Internacional, que se realizou em Cabo Verde. A ENACOL, na qualidade de anfitriã, teve a honra de organizar este grande encontro anual da Família Galp Internacional, que, pela primeira vez, se realizou fora de Portugal, e que contou com participantes oriundos de 8 países. No âmbito dos Investimentos que a Enacol tem vindo a realizar visando a inovação e a melhoria continua e segurança nos seus serviços, iniciou-se nesse mesmo ano, a remodelação do Posto de Venda John Miller (S. Vicente). O Posto de Venda John Miller após as obras de remodelação, foi reaberto em Junho, apresentando-se com uma nova imagem, que espelha a modernidade. Além da venda de combustíveis, lubrificantes e gás, o renovado Posto conta com o Ponto Laranja, um espaço novo de lazer e de conveniência, com serviço de cafetaria e loja. Igualmente em 2013, a ENACOL assinou um protocolo de parceria com a Comunidade Terapêutica Granja de São Filipe, Praia, visando apoiar e fortalecer o nobre trabalho que vem sendo efetuado por essa instituição, no tratamento e reinserção de toxicodependentes. Este protocolo consistia no fornecimento gratuitamente de gás que essa instituição necessita para cozinhar durante o ano. No ano 2014, deu-se a conclusão dos trabalhos de Revamping do Tanque de Armazenagem de Fuelóleo na instalação de S. Vicente. Um projeto que visa dotar este tanque de melhores condições de armazenagem. Ainda em 2014, a ENACOL apresenta ao mercado cabo-verdiano os novos produtos – gasóleo e gasolina E+Powe. O E+Power vem ao encontro das expectativas dos clientes da Empresa, que passaram a contar com um maior desempenho das suas viaturas, com um menor consumo e uma maior proteção do motor. Com a gasolina E+Power, a ENACOL passou a ser a única empresa no País a disponibilizar gasolina aditivada. Após o processo de adequação das operações, em outubro, a empresa subsidiária ENAMAR recebe a 1ª certificação nos códigos ISPS (International Ship And Port Facility Security Code) e ISM (International Safety Management Code). Ainda em outubro, a ENACOL lançou através do Website corporativo, uma plataforma que permite aos utilizadores do Chip Power efetuar consultas de movimentos e downloads dos extratos, e ainda, para os clientes que dispõe mais de um Chip, visualizar a sua listagem e passar saldos de um para o outro, tudo através da internet. Em dezembro de 2014, face ao desastre ocorrido aos habitantes da Chã das caldeiras, da Ilha do Fogo, a ENACOL, no âmbito da sua política de enquadramento como uma empresa socialmente responsável, em parceria com a Cruz Vermelha, realizou uma campanha sob o lema “Abastecimento solidário”, que consistia na doação de 1$ (um escudo) por cada litro vendido de combustível nos postos de venda. O valor arrecadado foi 1.765 contos. Em abril de 2015, a ENACOL realiza a maior operação de sempre de bunkering em Cabo Verde, com o abastecimento, por pipeline, de 5.150 toneladas de combustível (5.000 de gasóleo e 150 de fuelóleo) ao navio-tanque “Anuket Ruby” combustível ao navio Tanque “Anuket Ruby”. Em 14 de Março, a ENACOL inaugura o novo cais de abastecimento em São Vicente, no âmbito dos investimentos que têm feito para a adaptação das infraestruturas para as operações desenvolvidas pela empresa no segmento de Bunkering. Ainda neste ano, no mês de Maio, dá-se a conclusão das obras de construção do armazém para enchimento de butano e armazenagem de produtos embalados na Boavista, no âmbito dos projetos de investimentos levados a cabo pela empresa. A ENACOL lança a garrafa Laranjinha Light na Ilha de Boavista. A ENACOL realiza a primeira operação de bunkering a um navio porta-contentores, com o abastecimento, através do navio-tanque “Baía”, de 550 MT de Fuel Oil 380 Cst. Igualmente em 2015, dá-se a conclusão de Obras de revamping do tanque nº 3 da instalação em São Vicente. A ENACOL assina contrato de abastecimento com a SATA e a TAP, na Praia, para o ano 2016; Em abril, inicia-se a Utilização do cais e obtenção da certificação para carregamento de gasóleo e para carregamento de fuelóleo. A ENACOL realiza operação de Bunkering à duas plataformas petrolíferas, em simultâneo. Foi considerado um grande abastecimento, num total de 1.750 M3 de Gasóleo e embalagens de Lubrificantes. O abastecimento foi realizado pelos dois navios, propriedade da ENACOL, Dragoeiro e Baía. Em agosto, a ENACOL realiza mais uma grande Operação de Bunkering desta feita ao navio “C. Freedom” com 3000 MT Fueloil e 300 MT gasóleo através dos navios Dragoeiro e Baia. Nesse mesmo ano, em setembro, inicia-se as obras de impermeabilização das bacias de retenção dos tanques, no âmbito dos investimentos efetuados pela ENACOL a nível das infraestruturas, e segurança. Ainda em 2016, entra em vigor a nova estrutura orgânica da Empresa, tendo como finalidade, melhorar a eficácia e desempenho das equipas e rejuvenescer as primeiras e segundas linhas da empresa. No âmbito da sua política de responsabilidade social, com o intuito de reforçar as suas ações e apoiar a promoção do emprego jovem, a ENACOL lança o Programa Trainne Novos Talentos-Um programa à medida da ENACOL, com duração anual e remunerado que após a avaliação de desempenho oferece boas perspetivas de contratação efetiva aos que se destacarem. Em dezembro de 2016, é feita a passagem para a Enacol da gestão de compropriedade da Instalação do Aeroporto Internacional Amílcar Cabral. Com o forte sentido de responsabilidade social, nomeadamente na proteção do meio ambiente, é que em Fevereiro de 2017, a ENACOL assina o contrato de prestação de serviço de recolha, tratamento e valorização de resíduos fuelóleo entre Enacol, Electra, Retraoil e Sisav. Em março, no âmbito da sua política de inovação, a ENACOL implementa o projeto “modernização Sistema de Informação da Enacol” com a substituição dos servidores cores, instalação de Storage, migração da plataforma de virtualização, solução de continuidade de negócios. Em abril, inicia-se a Gestão de instalação (compropriedade) Aeroporto Internacional Amílcar Cabral. Também em 2017, é adquirido o N/T Olímpia. Dotado dos mais modernos sistemas de segurança, este Navio foi construído no ano de 2012, possui casco duplo, tem um comprimento total de 88,8 mts e 13,66 mts de largura, uma arqueação bruta de 2.405 toneladas e um calado de 4.1 metros. Tem como capacidade de carga 3.513 m3 de produto, sendo 2.588m3 de Fuel Oil e 925m3 de gasóleo e a capacidade de bombagem é de 500m3/hora, o que permitirá à ENACOL uma grande autonomia e rapidez nas operações de Bunkering.

PRESENTE
TOP